A programação em alusão ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência contemplou todos os grupos representados pela letra ‘S’ (social) que é parte da sigla ESG (ambiental, social e governança) e que também são contemplados através da ECOK (Escala Cidadã Olga Kos) que foi lançada oficialmente na ocasião. Ressalte-se que o encontro contou com a participação da ICV Brasil, primeira certificadora oficial da ECOK, escala que tem como objetivo avaliar, a partir de 05 variáveis, 20 indicadores e 37 requisitos, o quanto uma empresa é inclusiva, bem como se os ambientes que possui são inclusivos para todas as pessoas, independente de aspectos como gênero, faixa etária, deficiência, etnia, religião, nacionalidade, orientação sexual ou qualquer outro fator que possa ser considerado de exclusão. 

O evento realizado na Fecomercio – SP e promovido pelo IOK (Instituto Olga Kos) contou com a participação da Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) do presidente do INMETRO, Marcos Heleno Guerson Júnior, reuniu, em média, 150 pessoas físicas e jurídicas, além de autoridades do primeiro, segundo e terceiro setor, amigos da causa, grupos que agregaram representatividade ao debate levantando questões pertinentes e sensíveis sobre o tema, inclusão entre os quais: a Secretária Municipal de Direitos Humanos da capital paulista, Soninha Francine; o Secretário Adjunto de Infraestrutura Urbana e Obras de São Paulo, Marcos Garcia.

"Eu e a equipe de Planejamento e Informações da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania saímos do evento entusiasmadas e determinadas a aperfeiçoar nossos indicadores e métodos de avaliação. As exposições foram práticas e inspiradoras" declarou a secretária Soninha Francine. O Summit contou ainda com a representação da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (Investe-SP) que tem um departamento direcionado para as questões relacionadas à agenda ESG. 

Para Wolf Kos, presidente do Instituto Olga Kos, "mais do que a receptividade com a Escala Cidadã Olga Kos, a equipe do departamento de pesquisa do Instituto Olga Kos conseguiu levantar um questionamento dentro de grandes instituições. É importante destacar que o IOK defende que a inclusão deve ser tratada como política de estado e não de governo”, concluiu.  Já o presidente do INMETRO, Marcos Heleno Guerson, compartilhou o seguinte: “em conversas com o Inmetro, o Instituto se deparou com uma nova dificuldade: como medir aspectos humanos? O Inmetro é mais conhecido por questões técnicas”. Contudo, segundo Marcos Heleno, o INMETRO “acreditou que era possível dar um padrão à escala social”.